Advogados promoveram coletiva de imprensa nesta terça (foto: João Araújo/Poços Já)

Os advogados Wanderley de Mello e Letícia Lima realizaram uma entrevista coletiva, na tarde desta terça-feira (23), para defender seus clientes de ameaças que estariam recebendo. As vítimas são da comunidade cigana que fica na Zona Leste de Poços de Caldas, nos bairros Vila Nova e Morada dos Pássaros.

Segundo Wanderley, estes ciganos estão sendo ameaçados por pessoas que os culpam da morte de outro cigano: Marinho Fernandes Ferreira, de 49 anos, atropelado no último sábado (20). Na ocasião, Marinho estava em um bar e discutiu com um rapaz, que em seguida pegou o próprio carro e jogou contra a vítima (relembre o caso neste link).

Marinho fazia parte da comunidade cigana que fica na Zona Sul, bairro Jardim Kennedy. De acordo com o advogado que defende o grupo da Zona Leste, está havendo uma confusão. “Eles levantaram acampamento e se dirigiram para uma cidade vizinha, em nome de sua própria segurança. Eles têm raízes aqui, eles têm propriedades aqui, eles trabalham aqui e não estão podendo ficar na sua comunidade, no seu local”, argumenta Wanderley.

Não há informações oficiais sobre quem seriam os autores das ameaças. “Nossos próximos passos serão de acompanhar as investigações, o inquérito, a fim de inocentar os nossos clientes, que são os ciganos da Zona Leste, que não compactuam e não tiveram nada a ver com o evento do final de semana”, comentou a advogada.

O post Comunidade cigana está sofrendo ameaças em Poços, afirmam advogados apareceu primeiro em Poços Já Cidade.