Priscila era enfermeira do Samu (foto: redes sociais)

Uma enfermeira de Pouso Alegre (MG) foi morta em Peruíbe (SP) na última quinta-feira (10). O filho dela, Felipe Coral Ramalho, é o principal suspeito do crime. Ele foi preso e aguarda uma audiência de custódia para saber seu destino.

De acordo com a polícia, Priscila Coral Ramalho, de 38 anos, foi encontrada morta dentro de casa na tarde desta quinta-feira (10) e teria sido enforcada. Priscila trabalhava no SAMU de Peruíbe, cidade do litoral paulista, como responsável pelo serviço. Segundo amigos da família, o filho teria problemas com drogas.

O corpo da vítima foi encontrado pelo marido dela. Ele contou à polícia que saiu de casa no dia anterior e deixou a esposa e o enteado em casa dormindo. Quando chegou na quinta-feira para almoçar chamou por Priscila, mas ela não respondeu. Ele foi até o quarto do casal, percebeu que o chuveiro do banheiro social, localizado no piso inferior da casa, estava ligado. Quando chegou lá, encontrou a enfermeira caída no chão do box, tentou reanimá-la, mas não conseguiu. Ele chamou o SAMU, mas a vítima já estava sem vida.

As Polícias Civil e Militar foram até a casa e, quando procuravam indícios do que teria acontecido, Felipe chegou. Ele apresentava aranhões no rosto e nos braços. Questionado sobre o que aconteceu, o rapaz falava coisas contraditórias e se portava de maneira confusa.

Em razão das lesões, que indicavam uma possível luta corporal, ele foi preso suspeito da morte da própria mãe e levado para a realização de corpo de delito. O corpo de Priscila foi encaminhado para o IML de Praia Grande (SP). Após liberação do IML será levado para Pouso Alegre. Ainda não há informações sobre velório.